bcend@bcend.com.br

+55 31 98456-0323

+55 31 3462-5668

bctrade2

Sonda PEC para inspeção em fundo de tanque

A sonda PEC (Correntes Parasitas Pulsadas) da MAXWELL NDT é uma sonda plana para inspeção de chapas anulares de tanques de armazenamento utilizadas em inspeções em serviços, de fundo de tanque. Essa inspeção é muito valorizada porque auxilia no aumento do intervalo de inspeções entre paradas de tanques.

regua-sonda-pec-inspecao-fundo-tanque

Especificações da Sonda para Fundo de Tanque

Comprimento da Sonda: 370mm (14,5 “)
Largura: 45mm (1.8 “)
Altura: 7.5mm (0.3 “)
Faixa de espessura de parede: 20mm (0.8 “)
Lift-off máximo: 40mm (1.6 “)

Como é feita a inspeção por correntes parasitas pulsadas em fundo de tanque

A aplicação é possível graças à penetração de uma régua, presente na parte frontal da sonda, entre a base e o fundo do tanque. Com isso, a sonda percorre a área coletando os dados.

sonda-pec-inspecao-fundo-tanque-2

Essencial para a inspeção de chapas anulares, o equipamento de correntes parasitas pulsadas MAXWELL PECT é capaz de inspecionar através de grossas camadas de óxidos de corrosão (óxido de ferro), sob o assoalho do tanque. Sabe-se que a remoção dos óxidos de corrosão não é aceitável para situações de inspeção em serviço, uma vez que pode provocar vazamentos, e tal remoção é desnecessária para o MAXWELL PECT.

sonda-pec-inspecao-fundo-tanque-3

 

O gráfico abaixo representa um exemplo de resultado de uma inspeção em chapa anular com o MAXWELL PECT, mostrando uma significativa perda de material próxima à superfície do tanque. A área com corrosão estende-se sobre um comprimento de cerca de 80 mm neste caso.

grafico-sonda-pec-inspecao-fundo-tanque

Vantagens da Sonda PEC para inspeção em chapas anulares em tanques

  • Campo magnético compacto que aumenta a sensibilidade ao defeito.
  • Ampla gama de atendimento em termos de espessura de parede (2″) e espessura de camada de isolante, aplicado não somente em tubos mas também em tanques.
  • Incluindo pulsos de ciclo curto para altas espessuras de camada isolante. Permite varredura em casos de elevado lift-off.
  • Baterias de elevada autonomia com a função hot swap para troca sem necessidade de desligar o equipamento.
  • Extremamente robusto, projetado também para uso em ambientes externos; Muito fácil de usar no campo.

Comentários (0) Acessórios, Produtos, Sondas

Leia mais

Correntes parasitas pulsadas (PEC): tudo sobre técnica

Correntes Parasitas Pulsadas (PEC – Pulsed Eddy Current) é uma técnica muito utilizada na indústria para inspeção quantitativa comparativa de medição de espessura, em materiais ferromagnéticos sob isolamento não condutivo como vasos e tubulações isoladas.

O ensaio por Correntes Parasitas Pulsadas pode ser realizado sem a necessidade de contato direto da sonda com o material a ser inspecionado, ou seja, pode haver ar, água, revestimentos, produtos de corrosão entre a área de inspecionada e a sonda.

Em que se baseia a técnica de Correntes Parasitas Pulsadas?

A técnica de Correntes Parasitas Pulsadas baseia-se no princípio da magnetização do material a ser inspecionado (chapa ou tubo) por uma sonda. Uma corrente elétrica é introduzida através de uma bobina indutora a qual magnetiza o aço próximo à sonda (Probe). A corrente é então desligada e, como resultado, há um decaimento do campo magnético presente no material.

Esta repentina alteração no campo magnético gera correntes parasitas, que se propagam no material e decaem em potencial na medida em que se propagam. O campo induzido por estas correntes parasitas é detectado por uma bobina presente na sonda PEC, e o sinal detectado é relacionado à espessura.

Em outras palavras, no caso de perda de material por corrosão, por exemplo, o tempo de decaimento será menor, pois haverá menos material para absorver o campo gerado pela sonda. Desta forma, é possível determinar com relativa precisão a perda de massa em tubulações e chapas em aço carbono, sem necessidade de remover o isolamento.

Principio básico de medição por Correntes Parasitas Pulsadas

A técnica de Correntes Parasitas Pulsadas obtém a medida da espessura da parede por uma média da área sob a sonda (área circular onde as correntes parasitas circulam). Isso torna o ensaio ideal para determinação de perda média de espessura de parede.

Diferença entre as técnicas: Correntes Parasitas e Correntes Parasitas Pulsadas

Considerada uma técnica não destrutiva avançada, as correntes parasitas pulsadas (Pulsed Eddy Current – PEC) utilizam um pulso como sinal de entrada, ao passo que as correntes parasitas convencionais usam um sinal senoidal. As vantagens da técnica de PEC sobre a técnica de correntes parasitas convencional de frequência única são: maior profundidade de penetração; maior riqueza de informação sobre os defeitos e maior robustez contra interferência. O ensaio por correntes parasitas pulsadas também exige uma instrumentação menos custos a, se comparado com o ensaio por multifrequência, o que também seria outra vantagem.

Aplicações da Técnica de Correntes Parasitas Pulsadas

Possíveis aplicações para a Técnica de Correntes Parasitas Pulsadas (PEC) são:

  • Corrosão Sob Isolamento Térmico (CUI – Corrosion Under Insulation)
  • Corrosão por Fluxo Acelerado (FAC – Flow Accelerated Corrosion)
  • Corrosão Sob Proteção Antichamas (CUF – Corrosion Under Fireproofing).
Por que o Ensaio Não Destrutivo de Medição de Corrosão por Correntes Parasitas Pulsadas é importante?

Equipamentos e componentes metalúrgicos sofrem a ação de processos corrosivos, que impõem a redução da espessura da parede, limitando as condições de operação e reduzindo, portanto, a sua vida útil. Dentre os ensaios não destrutivos a técnica de correntes parasitas pulsadas tem sido utilizada para inspeção de componentes metálicos revestidos. O ensaio por corrente parasita pulsada (PEC), difere da técnica convencional, por ser uma técnica multifrequência.

A inspeção periódica ou contínua de equipamentos para o monitoramento ou a detecção da corrosão, deve garantir o funcionamento das instalações industriais assegurando a integridade de todos, com o mínimo de custo aplicado. Para tal, técnicas de inspeção não destrutiva devem ser aplicadas a fim minimizar estes custos.

Comentários (3) Aplicações, Inspeções

Leia mais

Eddyfi Lyft: Correntes Parasitas Pulsadas para Corrosão sob Revestimento

Tecnologia utilizada há alguns anos para detecção de corrosão sob revestimento, as Correntes Parasitas Pulsadas receberam uma nova abordagem pelas mãos da Eddyfi, trazendo mais confiabilidade, rapidez e simplicidade ao ensaio.
Continue Reading

Comentários (0) Correntes Parasitas Pulsadas, Eddyfi, END, Equipamentos, Produtos, Representadas

Leia mais