bcend@bcend.com.br

+55 31 98456-0323

+55 31 3462-5668

bctrade2

Vasos de pressão e sua instalação

Comentários (0) Aplicações, Notas

O equipamento, que é fundamental para o dia a dia da indústria, deve ser uma grande preocupação da empresa. Um erro de projeto, de uso ou de manutenção pode acarretar em acidentes graves.

Vasos de Pressão

A maioria dos filtros pode ser considerado um vaso de pressão. Toda a peça que é capaz de armazenar fluidos pressurizados é classificada como um vaso de pressão.

De acordo com Edison Ricco Junior, engenheiro da Apexfil, especializada em filtragem industrial, pode-se considerar um vaso de pressão equipamentos simples. De uma panela de pressão até máquinas complexas como os filtros industriais.

Como o próprio nome já diz, o vaso de pressão armazena fluidos que geram pressão. Assim, se não for projetado e operado de maneira segura, pode gerar acidentes catastróficos para uma empresa.

Segundo Milton Mentz, engenheiro mecânico, diretor da MKS Engenharia e diretor ABENDI, além dos riscos de acidentes na fábrica, a empresa ainda corre o risco de penalizações por parte dos agentes fiscalizadores. “Estas penalizações podem chegar até mesmo à interdição da instalação onde estejam operando os equipamentos”.



Instalação

Para que o vaso de pressão possa ser operado de maneira segura, é importante que todos os drenos, respiros, bocas de visitas e indicadores de nível estejam bem visíveis e em locais de fácil acesso.

A NR-13 estabelece algumas normas para a instalação de acordo com a disponibilidade geográfica do local. No total, são 5 exigências. Segundo o manual, elas são de suma importância para a segurança do local e das pessoas que trabalham nele. Trecho extraído do NR-13 Manual técnico de caldeiras e vasos de pressão:

a) Dispor de pelo menos duas saídas amplas, permanentemente desobstruídas e dispostas em direções distintas;
b) Dispor de fácil acesso e seguro para as atividades de manutenção, operação e inspeção, sendo que, para guarda-corpos vazados, os vãos devem ter dimensões que impeçam a queda de pessoas.
c) Dispor de ventilação permanente com entradas de ar que não possam ser bloqueadas;
d) Dispor de iluminação conforme normas oficiais vigentes;
e) Possuir sistema de iluminação de emergência.

Todas essas cinco normas são exigidas em locais onde o equipamento ficará “confinado”. Já nas instalações abertas, o projeto deve desconsiderar o item que se refere a ventilação permanente, já que a própria geografia do local proporciona essa precaução. De acordo com o manual, o descumprimento dessas exigências ocasiona alto risco para a vida dos operadores. A NR-13 ainda explica que, em alguns casos, o projetista não conseguirá cumprir as normas como estão no manual. Por isso, ele deve apresentar soluções alternativas ao sindicato da classe predominante na fábrica onde o maquinário será instalado.

Riscos Envolvidos

“Os riscos de uma má utilização de um equipamento pressurizado é muito grande. Esse tipo de maquinário pode causar explosões muito sérias, por este motivo, a preocupação com o projeto dos equipamentos pressurizados e a correta utilização, como manutenções periódicas e o correto dimensionamento e inspeções de equipamentos de segurança – como válvulas de alívio e de segurança -, garantem o bom funcionamento dos equipamentos. É na fase de projeto que são verificados quais ensaios serão necessários para a inspeção intermediária e final dos equipamentos pressurizados”, afirma Ricco Junior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *