bcend@bcend.com.br

+55 31 98456-0323

+55 31 3462-5668

bctrade2

250 vagas de emprego abertas em plataforma de petróleo

Comentários (0) Mercado, Notícias, Vagas

A Techint está construindo em Pontal do Paraná, no litoral paranaense, uma plataforma para exploração de petróleo em área de pré-sal para a Petrobrás. São 2,5 mil pessoas trabalhando no local, número que chegou a quase 4 mil em 2016. A previsão – e tudo caminha dentro do prazo – é entregar a demanda até o fim deste ano.

Nesta quinta-feira, 13, a empresa anunciou a abertura de mais contratações. Ao todo, de acordo com o processo de seleção, 250 novos trabalhadores serão contratados.

Vagas Disponíveis

A Prefeitura de Paranaguá informou que a empresa Techint está contratando 250 profissionais em Pontal do Paraná. A informação destaca, ainda, que os cadastros estão sendo realizados na Agência do Trabalhador. Ainda segundo a prefeitura, são 200 vagas para a função de ajudante e 50 vagas para maçariqueiros. Mas há possibilidade de abertura de oportunidades para outras funções.

O cadastro para candidatura está sendo realizado no Sine,  das 8h às 15h. A Agência funciona das 8h às 15h e fica aberta todos os dias úteis e estará aberta para os interessados nas 250 vagas de emprego oferecidas a partir desta quarta-feira (13).

Os candidatos devem comparecer ao Sine munidos de RG, CPF, Carteira de Trabalho e Comprovante de Residência. O espaço fica localizado na rua Faria Sobrinho, nº. 799, no centro de Paranaguá.

Plataforma de Petróleo

Para a plataforma P-76, o maior projeto da Techint já feito em Pontal do Paraná, a empresa já construiu 15 módulos de exploração de petróleo. Os módulos são instalados na parte superior do navio e são responsáveis pela separação do petróleo da água, do óleo, do gás e dos demais resíduos. Eles também fazem a compressão do gás, o tratamento de água e geração de energia. Na parte de dentro o navio, fica armazenado o petróleo extraído.

A construção dos módulos aconteceu entre 2014 e 2016 e neste ano as estruturas foram colocadas em cima do navio. Agora, falta somente interligar os módulos para que eles funcionem como uma única unidade. A previsão é terminar o trabalho até o fim deste ano.

Fonte: O Petróleo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *